[Resenha] O Homem Revoltado


Livro: O Homem Revoltado
Autor: Albert Camus
Páginas: 399
Ano: 2017
Comprar: Físico

Sinopse: As obras de Albert Camus destacam em geral dois conceitos: o absurdo e a revolta. Em “O homem revoltado”, o autor faz vários questionamentos de ordem filosófica. Coloca-se a favor da liberdade humana e da dignidade do indivíduo e contrário ao comunismo, aos regimes totalitários e ao terrorismo, pois incitam a revolta humana, os assassinatos e a opressão. Muito mais do que um ensaio, é uma obra contra os crimes de Estado, com destaque para aqueles ocorridos durante o regime stalinista. Segundo Camus, não há crime que possa ser justificado em nome da História. O autor mostra toda a sua personalidade por si só revoltada, com o objetivo da superação e da procura de um caminho, já que termina de escrever o livro alguns anos após o fim da Segunda Guerra Mundial. Apesar da morte precoce, Albert Camus deixou um legado para a sociedade e para cada indivíduo, iluminando os problemas da consciência humana.
Mais um livro de Camus para refletir, de leitura intensa, é necessário conhecimentos de autores como Nietzsche, Dostoiévski, Sade e outros.


"O homem não obtém ainda a certeza, mas apenas a vontade de certeza, o que não é a mesma coisa."

Ele nos trará um ensaio a respeito da revolta do homem, iniciando-se com as reflexões baseadas nos filósofos citados anteriormente e mais a frente ele falará sobre as revoltas do século XIX e inicio do século XX. 


"Quando a revolução é o único valor, não há mais direitos; na verdade, só há deveres."

É um livro para pessoas que estão ativas na sociedade, políticos, sociólogos, filósofo ou aqueles que gostam de mergulhar nesse mundo da filosofia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!