[Resenha] A Bagaceira


Livro: A Bagaceira
Autor: José Américo de Almeida 
Páginas: 278
Ano: 2017

Sinopse: Obra-prima do romance regionalista moderno .Considerado o marco inicial da segunda fase do Modernismo brasileiro, A bagaceira inaugura o ciclo do “romance nordestino” dos anos 1930. A história se passa entre 1898 e 1915, os dois períodos de seca. O enredo central gira em torno do triângulo amoroso entre Soledade, Lúcio e Dagoberto. Soledade, menina sertaneja, retirante da seca, chega ao engenho de Dagoberto, pai de Lúcio, acompanhada de vários retirantes: Valentim, seu pai, Pirunga, seu irmão de criação, e outros que fugiam da seca. Lúcio e Soledade acabam se apaixonando. Mas a relação entre os dois ganha ares dramáticos quando Dagoberto violenta Soledade e faz dela sua amante.A tragédia de amor serve ao autor, político paraibano, puramente como pretexto para denunciar os problemas sociais econômicos do Nordeste, os dramas dos retirantes das secas e da exploração do homem em um injusto sistema social. Explorando os mesmos temas, o baiano Jorge Amado, a cearense Rachel de Queiroz, o alagoano Graciliano Ramos e o também paraibano José Lins do Rego desenvolveram a mesma literatura ficcional crítica e revolucionária.



Uma preciosidade literária em minhas mãos, um livro que marca o início de uma nova fase da literatura brasileira, denominado como “Romance de 30”. Sendo publicado em 1928. 
Esse livro tem um forte apelo as adversidades sofridas pelo povo da região Nordeste, do nosso conturbado e problemático Brasil. 

"A bagaceira é um romance da seca, uma denúncia contra a exploração do trabalhador agrário. Aliás, é dele a frase que corre o mundo, tão citada que vai atingindo aquela consagração máxima a que pode aspirar a criação literária: perder a autoria, incorporar-se ao patrimônio de ideias e conceitos coletivos: "Há uma miséria maior do que morrer de fome no deserto: é não ter o que comer na terra de Canaã"."

O plano de fundo da obra é a seca que devasta toda uma região, o autor possuí uma riqueza nas palavras que leva para o leitor todo aquele sofrimento e angústia do povo, para poder sobreviver e ter o pão de cada dia. 
Os dos personagens principais são: Dagoberto, senhor de engenho e muito cruel com seus empregados, seu filho Lúcio que vive um constante conflito com o seu pai, por ter ideias inovadoras em sua mente para ajudar o próximo, e a jovem retirante Soledade, que tem um papel importante em toda história. 

"Não disse claro, mas o  leitor já sabe que Soledade era como Carlota, era como os Cariris Velho, "uma natureza quaresmal de cactos sobreviventes eretos como círios acesos em frutos de fogo"."

Dagoberto é um carrasco! Para ele, os retirantes são pessoas que só devem obedecer as ordens e nada mais, caso contrário, sofrerão devidas e cruéis punições. Lúcio, filho do cruel senhor do engenho aparece para tentar reverte toda essa situação e mostrar um lado romântico na história, envolvendo-se com a retirante Soledade, mas que terá muitos conflitos e interesses por conta de Dagoberto. 

"O moço não colheu a fruta de vez, que se lhe oferecera, generoso e sonhador que era; e quando se decidiu confessar-lhe amor de verdade, o amor sazonado em longos dias de encantamento e devaneio, quando foi procurá-la, ansiando por "um beijo longo, profundo, um chupo doido que lhe desse o gosto do coração", Dagoberto, com sua violenta avidez, já a tornara fruto apodrecido."

José Américo, por várias vezes usa diversos simbolismos para descrever toda uma ambientação para deixar mais vívido de como era a vida de uma retirante e senhor do engenho, sendo um livro rico em muitos detalhes e paisagens do Nordeste.

Quer adquirir o livro? Acesse Aqui

31 comentários:

  1. Parabéns pela resenha! Fiquei curiosa para ler, não conheço a obra. Parece abordar temas e situações muito fortes e conflitantes. É triste, mas é interessante conhecer.
    By: Evy | atravesdaescrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nunca li esse livro, mas achei interessantíssimo e uma obra importante para marcar a literatura sertaneja.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Devo admitir que apesar de ser um livro renomado,de um autor famoso, eu não conhecia. Eu gosto bastante de literatura brasileira e faz tempo que não leio algo assim. Dica anotada!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal, adorei!
    Naquela época as coisas eram bem pesadas mesmo.
    Bjs ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi, Suelane
    Ainda não conhecia esse livro, mas gostei muito da sua resenha.
    Romances regionais são sempre muito bons.

    Parabéns pelo blog.
    https://sobrecadamomento.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Quando vejo clássicos assim é impossível não lembrar das aulas de literatura brasileira que eu tinha no colégio e os livros que líamos de autores como esse.

    memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  7. Puxa, adorei a resenha. Conhecia ao mesmo tempo que não conhecia este livro. É daqueles clássicos que a gente só conhece de nome, ou seja, conhece o título e muito pouco da história.

    Muito bom; adorei conhecer A BAGACEIRA de verdade! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Eu gosto muito ode literatura romancista e Os Romances de 30 foi uma fazê que enriqueceu muito a literatura, gja li dois livros desse período e amei todos. É bem difícil a gente ver resenha desses clássico mas quando vejo eu adoro ler e saber a opinião. Essa obra ainda não li mas ela já está na listà. Adorei a resenha até mais ver
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. OI, Su
    Ainda nao conhecia o livro, mas achei pra lá de interessante o que ele aborda. Adoraria ler algo assim sobre o nordeste. Super amei a dica!

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  10. Adoro literatura nacional, ainda mais com esse toque regional! Dica super bem vinda e anotada!

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Oi Su, tudo bem?

    Ainda não conhecia o livro, mas fiquei mutio curiosa com a premissa. Já li algumas obras que tem como pano de fundo a situação de seca do Nordeste e as mesmas sempre trazem algo de reflexã muito grande, mostrando como as pessoas se portavam ou se portam. Adorei a sua resenha, dica anotada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a obra, achei o título engraçado. :v Parabéns, adorei a resenha e o fato de ter posto trechos da obra nela.

    ResponderExcluir
  13. OII amei a resenha fiquei super curiosa para ler esse livro, e a capa é encantadora rs adorei de vdd!!!

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Eu tenho bastante interesse em ler obras aos quais eu consiga ter uma visão do Brasil e dos problemas que ele têm ou teve. Sua resenha me mostrou que posso encontrar exatamente isso nas obras. Parabéns. Beijos.
    Blog: https://fanficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir
  15. Oii!
    Primeiramente, amei a resenha. Li esse livro na escola e tive que apresentar e fazer uma resenha, demorei para começar a ler , mas gostei muito da leitura.

    Beijooos - Refúgio Da Ju

    ResponderExcluir
  16. Oi!! Adorei a resenha. Adoro livros que envolvem amor impossivel. Dá uma emoção de ler. Não conhecia esse livro, mas amei sua resenha. Bjs!

    ResponderExcluir
  17. Oii, adorei a resenha. Adoro quando os livros nacionais abordam fatos que marcantes de nosso país como a seca, e qual era a realidade vivida a um tempo atrás, sem dúvidas a leitura deve ser enriquecedora.
    Achei a capa bem interessante, me lembrou aqueles vitrais de igreja sabe, e sua resenha me deixou bem curiosa a respeito <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Parabéns pela resenha. Sério mesmo! Pois escrever resenhas desses livros são meio complicados e você usou as palavras e opiniões com maestria.
    É difícil parar para ler Literatura Nacional dessa época, os que eu li foram tecnicamente "obrigados", não tive tanto prazer durante a leitura justamente por isso. Mas essa obra me interessou e pretendo ler em alguma oportunidade, gosto de livros com algum conflito envolvido haha'

    Beijo, beijos
    relicariodehistoriasma.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Nossa, Suka, gostei bastante da premissa e de sua análise! Anotei aqui para poder comprar futuramente.
    devemos consumir mais literatura nacional, é tão incrível!
    Beijos,
    Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br

    ResponderExcluir
  20. Olá! Parabéns pela resenha, ficou muito boa mesmo ! Gosto muito da literatura brasileira, mas não sou muito de clássicos, tanto nacional quanto estrangeiro.
    Bjos Isis - minhaestantecolorida.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá,

    A premissa do livro é interessante, acho que nunca li nenhum livro com uma premissa parecida, confesso que não faz meu estilo, mas é sempre bom sair da zona de conforto e conhecer novas obras. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  22. Não conhecia esse livro, mas tenho que confessar que é difícil eu procurar livros assim depois que terminei o ensino médio, rs. Eu normalmente lia e gostava de praticamente todos os livros que "tinha" que ler, mas acho que acabei relacionando tanto esse tipo de livro com "escola" que acabo nem procurando por mais nenhum. Lendo a sua resenha, me arrependi de fazer isso, fiquei muita interessada em ler esse livro e conhecer mais sobre a realidade no nordeste naquela época.

    Parabéns pela resenha!

    Bjo
    ~ Danii
    clubedofarol.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Oiii!!

    Eu não conhecia esse livro! Achei curioso a temática da obra e a escrita do autor, a forma como tudo foi abordado.
    Fiquei curiosa para conhecer a obra!
    Dica anotada!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Minhas professoras sempre falaram bem desse livro mas eu nunca me interessei, quem sabe um dia ... adorei a resenha 🙆

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde,
    Incrível como o clima do lugar possa ser ao mesmo tempo cenário e metáfora pra as venturas e desventuras do amor. Afinal um coração pode muito sem um coração sem amor e cheio de amargura.
    Amei suas opiniões e pensamentos após essa leitura e da ainda mais de ler! Obrigado pela indicação!
    ~Elis Blog Pretenses

    ResponderExcluir
  27. Oi!!
    Menina eu nunca tinha visto este livro, nossa ele é praticamente um clássico da literatura brasileira.
    Embora, pareça ser uma história um tanto triste é de se imaginar que a leitura é rica em detalhes.
    Eu leria esse livro com certeza. Adorei a tua resenha.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  28. Uau!! Como pode uma obra desse tamanho e eu sem conhecer? Adorei!!
    Nunca li nada que retratasse o nordeste e achei super interessante.
    Sem contar que a capa está linda, quero ler!!
    Obrigada pela dica!

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  29. Ooiee, não li o livro, mas lembro de que vi sobre ele na época de escola, não tenho o costume de ler este estilo de leitura infelizmente, mas gosto de que fala sobre meu Nordeste.
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Olá, tudo bem? E que clássico! Não li ainda, porém sei a importância que ele tem, não só por iniciar uma "nova era" mas por também falar da realidade da época do Nordeste. Ótima resenha e você retratou muito bem! Adorei!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  31. Olá! Estou tentando me lembrar se alguma das minhas professoras indicou este livro, porque o título não me é estranho, mas não me recordo de ter lido. É muito bom a gente valorizar histórias nossas que ampliam o nosso conhecimento sobre o país. Bela dica, resenha muito boa! Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita!
Volte Sempre!